quarta-feira, 29 de maio de 2013

Parte 1

- Estou chegando e com más notícias.
- Como assim? Mais?
- Sim! E tenho uma ide...
- Ai! Não acredito...
- Calma! Deixe-me terminar...
- Tá bom.
- Bom, estou vindo do centro da cidade e me parece que já está acontecendo. Um pouco de pessoas saqueando lojas, supermercados, correndo e etc. Quase um caos. Na volta, passei pela rodoviária e lá a bagunça parece maior. Porém, o fato é que...
- Ai não...
- Porém, o fato é que de vez em quando é possível encontrar uns pedaços de informação e... Bom, não tem mais ônibus.
- COMO ASSIM? TÁ TUDO LOTADO?
- Estavam lotados. Saíram bem de manhã, transbordados de gente. Os que restaram lá na rodoviária não são úteis para nós dois. Conversei, inclusive, com alguns motoristas, mas nenhum quer quebrar um galho para não correr riscos. Parece que desistiram deste lugar.
- (soluço de choro) Não acredito... Não quero morrer agora... (soluço de choro)
- Ouvi dizer que as estradas estão tão congestionadas que as filas ainda estão na cidade e aumentando.
- “Ouvi dizer”, “ouvi dizer”... Só isso que estou ouvindo ultimamente. Ninguém tira as conclusões pessoalmente... (soluço de choro). Não estou criticando você, mas isso tudo me irrita. Ninguém que conhecemos nos ajudou. Não sei até em que ponto não foi possível... (soluço de choro)... Talvez tivesse sido melhor ter pegado aquele lugar e deixado àquela infeliz...
- Muito me intriga que mesmo possuindo todo um conhecimento, informações, raciocínios, muita gente ainda age como se tudo fosse terminar conforme seus desejos... Todos devem ter pensado igual para criar esse congestionamento, pois não vejo lógica...
- CONGESTIONAMENTO? PORRA! PRECISAMOS PENSAR EM ALGUMA FORMA DE SAIR DAQUI... VOCÊ NÃO ME ESCUTA? (choro)
- ...

- (choro)

Nenhum comentário:

Postar um comentário